voce sabe o que vc quer

Você sabe o que você quer?

Você sabe o que você quer? Vivemos uma busca incansável pelo sucesso. Que vibram basicamente nessas áreas: financeiro, profissional e relacionamentos. A saúde e a família estão conectadas diretamente a estas áreas.

Se tivesse 3 minutos para te dizer que para ter sucesso na vida, uma pessoa só precisa ter em mente 3 coisas, iria parecer brincadeira, certo? Mas toda a complexidade do que achamos que é a vida, pode ser mais simples do que imaginamos. Segundo o conceito de PNL (Programação Neurolinguística) o ruído entre o que desejamos e o que expressamos pode estar em um desses 3 tópicos abaixo.

  1. Saiba o que você quer. Ter uma ideia clara do objetivo desejado em qualquer situação e área da vida.
  2. Estar alerta e receptiva para observar o que está conseguindo.
  3. Ter flexibilidade para continuar até conseguir o que quer.

Escreva agora em um caderno e reflita:

RESULTADO/ACUIDADE/FLEXIBILIDADE

Primeiro de tudo, precisamos saber o resultado que queremos atingir. Se não soubermos para onde estamos indo, fica mais difícil chegar lá. Observe agora se você está tendo o resultado que deseja, senão estiver volte para o caderninho e pergute a si mesmo. O que eu quero?

Uma parte importante de se estimular a criatividade é ampliar a percepção sensorial: onde colocar nossa atenção e como modificar e ampliar nossos filtros para podermos observar coisas que não percebíamos anteriormente. Trata-se da percepção sensorial do momento presente. Quando nos comunicamos com outras pessoas, isso significa observar os sinais, pequenos porém decisivos, que nos fazem perceber como elas estão reagindo. Quando pensamos, isto é, quando nos comunicamos conosco, significa ampliar a percepção de nossas imagens, sons e sensações interiores.

Você precisa ter acuidade ou sensibilidade para observar se o que está fazendo o está levando a obter o que deseja. Se aquilo que está fazendo não estiver dando resultado, faça outra coisa, qualquer coisa. É preciso ouvir, ver e sentir o que está acontecendo e ter uma ampla gama de respostas.

Ter apenas uma maneira de fazer as coisas é o mesmo que não ter escolha. Nem sempre ela vai funcionar, de modo que sempre haverá situações com as quais não sabemos lidar. Duas escolhas colocam a pessoa diante de um dilema.Ter escolha significa ser capaz de usar no mínimo três abordagens. Em qualquer interação, a pessoa que tem mais opções, maior flexibilidade de comportamento, estará em condições de controlar a situação.

Se você só fizer aquilo que sempre fez, só obterá aquilo que sempre obteve. Se o que você está fazendo não está dando resultado, faça outra coisa. Mas faça agora.

Para obter sucesso naquilo que desejamos, precisamos saber o que desejamos. Mas como saber o que desejamos? Criando um objetivo. Em linguagem neurolinguística, escolhe-se um objetivo bem formulado, isto é, o objetivo deve ser indicado na afirmativa. É mais fácil ir na direção daquilo que se quer do que fugir daquilo que não se quer. Entretanto não podemos ir na direção daquilo que queremos se não soubermos o que é.

Seja específico no seu objetivo final. Feche os olhos e veja o que você vai ver, ouvir e sentir. Imagine alguma cena e descreva para si próprio, especificando quem, o que, onde, quando e como. Quanto mais completa for a ideia do objetivo que deseja atingir, mais seu cérebro poderá ensaia-lo e perceber as oportunidades para atingi-lo.

O objetivo precisa ter tamanho adequado. Talvez ele seja grande demais, e neste caso será necessário dividi-lo em objetivos menores e mais facilmente atingíveis. No entanto alguns objetivos quando divididos podem parecer triviais de mais e não gerar motivação. Por isso é sempre bom conectar os pequenos objetivos aos benefícios imediatos que ação pode trazer.

Resumão dos objetivos:

POSITIVO: Pense naquilo que deseja em vez de pensar naquilo que não deseja. Pergunte-se: “O que eu gostaria de ter?” “O que realmente desejo?”

Ação Individual: Pense no que terá que fazer para atingir seus objetivos, que também deve estar no seu alcance. Pergunte-se: “O que terei que fazer para atingir meu objetivo?” “Como devo começar e manter minha ação?”

Especificação: Imagine o objetivo da maneira mais clara possível. Pergunte-se: “Quem, onde, quando, o que, como, exatamente?”

Demonstração: Pense nas evidências sensoriais que te mostrarão que você obteve aquilo que desejava. Pergunte-se: “O que verei, ouvirei e sentirei quando estiver obtido o que desejo?”

Tamanho: Meu objetivo tem a dimensão correta? Pergunte-se: “O que me impede de obte-lo?” e transforme os problemas em objetivos menores, claros e possíveis de serem atingidos.

E, mãos à obra.

“Pode me dizer, por favor, que caminho devo pegar? “

“Depende para onde você quer ir”, disse  gato.

“Não me importa muito aonde….”, disse Alice.

“Então não importa o caminho que você pegue”, respondeu o gato.

Alice no País das Maravilhas – Lewis Carroll

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.