ideias biônicas da natureza

A mãe natureza é sábia. Já observou quantos problemas de plantas, animais e até do homem ela já resolveu? Por exemplo, as plantas sabem como buscar a luz do sol para se desenvolverem plenamente. Além disso, a natureza criou mecanismos para que fosse possível que os morcegos enxergassem sem possuir olhos, as cobras andassem sem ter penas, dentre milhares de outros exemplos. A técnica que aprenderemos a seguir busca analogias entre o problema que possuímos e a natureza. Chamamos de “ideias biônicas” aquelas que a natureza utilizou para resolver seus próprios problemas e que muitas vezes nós podemos também usar para resolver nossos próprios problemas.Leia Mais

processo criativo

Qualquer que seja a magia do dedo laranja, entra para o ponto de cruz negro e de pele vermelha. Se você pensa que come vento de leite, você certamente brilha na calça da joaninha de isopor. Algum dia você já pensou que peito fosse o nariz do útero? Se você falar mais vai ventilar os morangos silvestres do Congo. A vida da formiga tem 1000 raios e é mais liquida do que feijão com geleia cozida em banho cru. Se a loira da quina te contar um grito, vai dizer que seu pé está nas costas do burro das 13 espadas, e vai voar comoLeia Mais

Processo Criativo para que?

O Processo Criativo (YAKUZA), curso da Perestroika começa esta semana dia 19 de maio em São Paulo. Fui convidada para desenvolver 3 aulas das 13 que serão dadas no total, e conta com um time de profissionais super bacanudos. Meu estudo sobre o Processo Criativo começou há 6 anos e por basicamente uma necessidade de entender onde eu estava e para onde estava indo. Então resolvi organizar tudo o que eu tinha construído até aquele ponto, trabalhando há 15 anos exclusivamente para o mercado de moda. Naquela época, passei por um período bem especial de reconstrução de vida em todos os aspectos. Foi nesse período que percebi que todos osLeia Mais

Como a empatia alimenta o processo criativo

Quando ouvimos a palavra “conexão” muitas vezes visualizamos uma linha a ser traçada entre dois círculos separados. Nesta palestra, Seung Chan Lim (Slim) compartilha histórias e teorias que surgiram a partir de sua recente pesquisa sobre como a empatia alimenta o processo criativo. Ao fazer isso, a conversa tem a intenção de desafiar o modelo de conexão desta ligação e trazendo um modelo alternativo, onde a conexão acontece quando não traçamos uma linha entre dois círculos, mas quando removemos a linha artificial que separa os círculos. Seung Chan Lim é um premiado designer, engenheiro e pesquisador. Autor do livro “Percebendo Empatia: uma investigação sobre o significadoLeia Mais