sobre imaginação e fantasia

O poder de imaginar coisas que ainda não foram vivenciadas é considerado, por um lado, um aspecto fundamental do pensamento criativo e inteligente. Por outro lado este poder de imaginação é igualmente visto como uma capacidade um tanto quanto passiva e mecânica de organizar e ordenar as imagens do pensamento advindas de associação de memórias, com a ajuda da qual a mente pode fazer adaptações que mais parecem rotinas e, na pior, limitar-se a enganar a si mesma de modo que favoreça seu próprio prazer. O livro, What Coleridge Thought (O que Coleridge pensou) de Owen Garfield expõe duas formas distintas de pensamento. A imaginaçãoLeia Mais