Pense como um designer, você é o seu projeto.

Pense como um designer, você é o seu projeto.

Através do pensamento em design (Design Thinking), os professores de Stanford Bill Burnett e Dave Evans ensinam técnicas que nos permitem usar ferramentas para projetar e guiar melhor nossas vidas.

Muito pouca atenção é dada aos novos empregos que surgirão. Na verdade, o Departamento de Trabalho dos EUA prevê há alguns anos que cerca de 65% das crianças da escola hoje, serão contratadas em empregos que ainda não existem. Um pouco assustador não?

Por esta e outras razões é cada vez mais urgente que novas formas de desenvolvimento pessoal sejam implementadas no cotidiano das pessoas, para que possam ser estimulados criativamente. Só assim será possível descobrir novas formas de atuação, profissão e novas formas de vida.

Neste caso, iluminamos aqui como o design é uma ferramenta bem elástica e está sendo usada não somente construir coisas e solucionar problemas, mas também como ferramenta de projeto de vida.

Burnett e Evans dividem a filosofia em cinco tópicos:

1. Seja curioso – este é um ponto de partida fantástico. O próprio Einstein dizia que ele não tinha nenhum talento real além da sua intensa curiosidade de ser apaixonado por tudo.

Estudos recentes mostram que a curiosidade abre uma janela em nosso cérebro para aprender coisas novas, então essa é uma mentalidade essencial para o seu ponto de partida.

 

2. Experimente coisas – a prototipagem é uma parte fundamental do pensamento de design e, portanto é necessário tentar, inventar e experimentar jeitos e ou formas baratas e fáceis de materializar nossas ideias.

A experimentação é uma parte fundamental da mudança organizacional e deve ser uma parte fundamental da concepção da sua vida também.

 

3. Reformule os problemas – A reformulação é como os designers saem de impasses. Além disso, garante que estão tratando do problema certo. Na verdade, estudos já mostraram que a forma como moldamos as coisas pode desempenhar um papel significativo na questão de iniciar ou procrastinar. Ao reformular nossos problemas, muitas vezes podemos olhar para situações em uma nova luz e encontrar soluções muito melhores para elas.

Você é um um conjunto de crenças e experiências vividas. E é nessas crenças que está enraizado todo o bloqueio ou sucesso. Quando se consegue detectar qual é a crença raiz, ai sim é hora de reformular.

 

4. Saiba que é um processo – Quando você aprende a pensar como um designer, você aprende a ter consciência do processo. O design de vida é uma jornada, liberte-se da meta final, concentre-se no processo, na jornada, que o resultado já aparece. Este é um grande paradoxo, mas é real. A beleza do processo é entender que automaticamente ele te leva a um resultado, ao imprevisto, ao eventual sendo bom ou ruim. O que nos faz ter um outro entendimento sobre o erro. O erro precisa existir, só desta forma entendemos o que é acertar. A dualidade é vital, sem cair não levantamos, sem perder não ganhamos, e isso é o processo.

 

5. Peça ajuda – Design e invenção são cada vez mais processos colaborativos, e projetar sua vida não é diferente. Burnett e Evans defendem uma abordagem aberta e colaborar é preciso. Tanto para criar novas idéias como para validar e trocar idéias com outros pontos de vista. Os melhores designers sabem que precisam da colaboração de uma equipe.

Um pintor pode criar uma obra de arte sozinho, mas um designer não faz um iPhone sozinho. Por tanto pense assim: Você não está sozinho e não precisa estar. O design é um processo colaborativo e muitas das melhores ideias virão da soma das suas. Por isso é importante ter mentores e estar perto de comunidades criativas de apoio para dar o suporte que você precisa para o seu projeto de vida.

Os princípios básicos do design descritos acima podem ser valiosos ​​para te ajudar a criar o tipo de vida que você deseja. Uma vida bem projetada é uma vida que faz sentido e um maravilhoso portfólio de experiências, aventuras e fracassos que te ensinaram lições valiosas. Dificuldades e descobertas que te fortalecem e que te ajudam a se conhecer melhor e a evoluir como SER humano.

Aqui na RED nós usamos esses ensinamentos dos professores Bill Burnett e Dave Evans em nosso processo de mentoria criativa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *