o que é afinal essa nova era

O que é afinal essa NOVA ERA?

Estamos aparentemente recebendo vibrações de uma NOVA ERA, novas formas de viver, pensar e se relacionar, mas que na verdade não é tão nova assim.  O termo Nova Era,  tem sido amplamente utilizado para afirmar que um melhor modo de vida para a humanidade está começando.

Mais conhecida como o movimento New Age, que foi um termo aplicado a uma variedade de crenças e práticas espirituais ou religiosas que se desenvolveram nas nações ocidentais durante a década de 1960/1970.

Porém o assunto é mais profundo do que isso. Senta que lá vem história.

Em 1907 Alfred Orage e Holbrook Jackson começaram a editar um jornal semanal do liberalismo cristão e do socialismo intitulado The New Age. Na década de 1980 o primeiro ministro soviético Mikhail Gorbachev proclamou que:  “toda a humanidade está entrando em uma Nova Era”.  O termo também apareceu nas escolas de pensamento esotéricas ocidentais, tendo um uso diverso a partir do meio do século 19 em diante.

As definições acadêmicas precisas da Nova Era diferem em seu discurso, em grande parte pela sua estrutura altamente eclética. Embora, analiticamente, muitas vezes se considere religioso, os envolvidos neste movimento geralmente preferem a designação de espiritual (Mente, Corpo, Espírito) e raramente usam o termo “Nova Era”. Embora outros contestam este termo e sugerem que seja melhor visto como um meio ou um zeitgeist.

Muitos nomes tiveram grande influencia nos signos da Nova ERA, talvez por esta razão a dificuldade de estudiosos no assunto conseguirem traçar uma linha mais coerente. Uma das primeiras influências na Nova Era foi o místico cristão do século 18, Emanuel Swedenborg, que professou a capacidade de se comunicar com anjos, demônios e espíritos. Seu desejo era unir ciência e religião. Outra influência foi o médico e o hipnotizador alemão Franz Mesmer, do início do século 17 e 18, que alegou a existência de uma força conhecida como “magnetismo animal” que atravessa o corpo humano.

Sem dúvida uma grande influência sobre o movimento da Nova Era foi a Sociedade Teosófica, um grupo oculto co-fundado pela russa Helena Blavatsky (considerada como a mãe do ocultismo) no final do século 19. Blavatsky afirmou que sua Sociedade estava transmitindo a essência de todas as religiões do mundo, e enfatizava assim um foco na religião comparava.

Na Grã-Bretanha, uma série de pequenos grupos que vieram a ser identificados como o movimento “leve” começaram a declarar a existência de uma Nova Era influenciada fortemente pelas idéias teosóficas de Blavatsky. O mais proeminente desses grupos foi a Fundação Findhorn, que fundou a Ecovillage Findhorn na área escocesa de Findhorn, Moray em 1962.

Servindo como uma ponte parcial entre as ideias teosóficas e as da Nova Era, foi o esoterista americano Edgar Cayce, que fundou a Associação para Pesquisa e Iluminação. Outra grande influência foi New Thought, que se desenvolveu no final do século 19 na Inglaterra como um movimento de cura orientado por cristãos antes de se espalhar por todo os Estados Unidos. O psicólogo Carl Jung, e o Swami indiano Vivekananda, um adepto da filosofia de Vedanta que primeiro trouxe o Hinduísmo para o Ocidente no final do século 19, influenciaram este movimento.

 

Como uma forma de esoterismo ocidental, a Nova Era dedicou-se fortemente a várias tradições esotéricas antigas, em particular aquelas que surgiram da corrente ocultista que se desenvolveu no século 18.

No meio do século XX, uma série de influencias como as religiões OVNI da década de 1950, a Contracultura da década de 1960 e o Movimento de Potencial Humano, também influenciaram fortemente o desenvolvimento inicial da Nova Era. Embora as origens exatas do fenômeno permaneçam confusas, é sabido que ele se desenvolveu na década de 1970, e se concentrou em grande parte no Reino Unido. Ampliou e cresceu principalmente nos anos 80 e 90, em particular nos Estados Unidos.

Apesar da sua natureza altamente eclética, foram identificadas várias crenças comumente encontradas dentro da Nova Era. Teologicamente, adota uma crença em uma forma holística de divindade (o principio da unidade, todos somos uno) que impõe todo o universo, inclusive os próprios seres humanos. Há também uma forte ênfase na autoridade espiritual do EU.

Uma crença comum da Nova Era é que enquanto a humanidade vivia em uma Era de grande avanço tecnológico e sabedoria espiritual, a mesma entrou em um período de degeneração espiritual. Há também um forte foco na cura, particularmente usando formas de medicina alternativa e uma ênfase em uma “Ciência da Nova Era”, que busca unir ciência e espiritualidade.

 

O estudioso Paul Heelas caracterizou a Nova Era como uma eclética confusão de crenças, práticas e modos de vida que pode ser identificado como um fenômeno singular através do exercício de transformação da condição humana, que inclui uma grande variedade de grupos e identidades, mas que estão unidos pela expectativa de uma mudança importante e universal baseando-se principalmente no desenvolvimento individual e coletivo do ser humano.

Entende-se a Nova Era em três grandes tendências.

1. O campo social, representa grupos que procuram principalmente mudanças sociais.

2. O campo ocultista, se concentra no contato com entidades espirituais e canalização.

3. O campo espiritual, representa um meio termo entre esses dois campos, e que se concentra em grande parte no desenvolvimento individual.

 

Como uma forma de esoterismo ocidental, a Nova Era possui antecedentes que remontam ao sul da Europa na Antiguidade. Seguindo a Era do Iluminismo na Europa do século 18, novas ideias esotéricas desenvolvidas em resposta ao desenvolvimento da racionalidade científica. Esta nova tendência esotérica é denominada ocultismo por estudiosos, e esse ocultismo seria um fator chave no desenvolvimento da visão de mundo a partir da qual emergiu a Nova Era.

Todos esses grupos criariam o pano de fundo do qual emergiu o movimento da Nova Era. Representa uma síntese de muitos movimentos e linhas de pensamento preexistentes diferentes.

As idéias da Nova Era influenciaram o desenvolvimento da cultura no final dos anos 80 e 90.  Na Grã-Bretanha durante a década de 1980, o termo “New Age Travelers” entrou em uso criado pela mídia. Estes personagens tiveram pouco a ver com a Nova Era do passado e a espiritualidade não era uma parte essencial da cultura New Age Traveller. O termo Nova Era passou a ser amplamente utilizado pela mídia popular na década de 1990.

A Nova Era coloca forte ênfase na idéia de que o indivíduo e suas próprias experiências são a principal fonte de autoridade em assuntos espirituais. Ele exibe o individualismo não mediado, e reflete uma visão de mundo que é radicalmente democrática. Dá ênfase à liberdade e autonomia do indivíduo e na crença da existência de um EU central e verdadeiro, trazendo o conceito de crescimento pessoal.

Hanegraaff  identificou a segunda principal corrente de cura no movimento da Nova Era como sendo a saúde holística. Surgiu na década de 1970 e enfatiza a ideia de que o indivíduo humano é uma relação holística e interdependente entre a mente, o corpo e o espírito, e essa cura é um processo no qual o indivíduo torna-se inteiro integrando-se aos poderes do universo.  Uma grande variedade de métodos são utilizados dentro do movimento holístico da saúde, com alguns dos mais comuns, incluindo acupuntura, reiki, biofeedback, quiropraxia, yoga, cinesiologia, homeopatia, aromaterapia iridológica, massagem, meditação, visualização, mudança nutricional, cura psíquica, ervas medicinais, cura usando cristais, metais, música, cromoterapia, entre outras.

Hoje em pleno século 21 estamos vivendo a junção desse quebra-cabeças de 2 séculos e começando a enxergar uma forma. Seria este o verdadeiro chamado despertar do Ser Humano?

Em síntese, a Nova Era tenta criar uma visão de mundo que inclua ciência e espiritualidade. Nesse sentido, existem físicos e outros profissionais científicos interessados em desenvolver visões mundiais unificadas para descobrir a natureza divina e estabelecer uma base científica para a espiritualidade. Fritjof Capra em seu The Tao of Physics (1975) – desenhou paralelos entre as teorias da Nova Física e as formas tradicionais de misticismo, argumentando que as idéias religiosas antigas agora estão sendo comprovadas pela ciência contemporânea. Muitos New Agers adotaram a hipótese de Gaia de James Lovelock, em que a Terra atua como um único organismo vivo, embora tenha expandido essa idéia para incluir que além disso tem consciência e inteligência.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *