Uma visão ideológica do design de mobiliário.

Jessi Reaves tem uma visão ideológica do design de mobiliário. Jessi não constrói móveis, constrói esculturas que são cadeiras, sofás, estantes e mesas. Estes móveis/obras de arte trazem um longo diálogo entre a função e a estética. Seu processo criativo começou com o trabalho que desenvolvia de refazer estofados, e de regenerar peças antigas de mais de 30 anos. A partir dai seu processo amplificou e Jessi passou a transformar o que vem de dentro das peças e não melhorar o que está do lado de fora, reconfigurando inteiramente a construção do seu trabalho em um diálogo extremamente conceitual entre o design e a ate. OLeia Mais

Imagem e emoção: movimentos interiores e exteriores

Sensações, imagem, emoção e mais imagens. Se há uma propriedade inerente às imagens, em todas as suas formas e manifestações, é sua capacidade de condensar e carregar sentidos, vale dizer, energia, vale dizer, emoções e sentimentos, histórias e estórias, memórias do passado e memórias do futuro como desejos, sonhos e projetos. Daí emerge o poder de captura e o poder de mobilização das imagens. Reunindo tanta potência condensada, muitas vezes em uma simples configuração como uma cor, um traço ou um esboço, tantas vezes em um único elemento, um gesto, um olhar, sua presença na história do homem foi sempre a presença de uma ferramentaLeia Mais

arte abstrata

O biólogo molecular e neurocientista, Eric Kandel premiado com o Prêmio Nobel – explora o paralelo entre as técnicas usadas por artistas e pelos cientistas em seu livro, Reductionism in Art and Brain Science: Bridging the Two Cultures. Será que existe uma ciência na arte abstrata e um processo de arte na ciência? Ele escreveu sobre a interação entre ciência e arte em seu magnífico  livro The Age of Insight em sua busca para entender o inconsciente na arte, na mente e no cérebro, entre o período de 1900 até os dias de hoje. Kandel examina brilhantemente o papel da arte abstrata como meio deLeia Mais

seleção red

Separamos mais uma seleção de filmes que amamos. Filmes que nos ajudam a poetizar, refletir e inspirar o cotidiano. POESIA SEM FIM – Alejandro Jodorowsky – 2016 Poesia sem fim, um filme autobiográfico do diretor Alejandro Jodorowsky. Mostra poeticamente durante os emocionantes anos 1940 e 1950 em Santiago, sua trajetória em se tornar poeta contra a vontade de sua família. O jovem de 20 anos é introduzido ao círculo íntimo dos artistas e intelectuais e conhece Enrique Lihn, Stella Diaz, Nicanor Parra e tantos outros promissores e anônimos escritores que, depois, se tornarão mestres da literatura moderna latino-americana. Totalmente imersos no mundo da experimentação poética, elesLeia Mais

Os novos velhos, os idosos da nova ERA.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o grupo de idosos de 60 anos ou mais será maior que o grupo de crianças com até 14 anos já em 2030 e, em 2055, a participação de idosos na população total será maior que a de crianças e jovens com até 29 anos. Começa assim uma nova geração de novos velhos. A cada minuto que você gasta lendo este artigo, a expectativa de vida média aumenta em 12 segundos. A razão é clara: avanços rápidos na medicina e biologia têm sido uma das maiores conquistas dos últimos tempos. Shripad Tuljapurkar, especialista em estudosLeia Mais

Inspiração no cotidiano da dupla italiana Atelier Biagetti

Alberto Biagetti e Laura Baldassari fazem parte do Atelier Biagetti. A inspiração no cotidiano da dupla italiana vem do mundo ao seu redor, do comportamento humano e da memória coletiva. A grande marca do trabalho do Atelier é a descontextualização de elementos visuais, criando um curto-circuito entre os sentidos do corpo, os preconceitos da mente e a realidade física do ambiente circundante. Cada projeto que a dupla cria conta uma história, comparável a um curta metragem. Mas ao invés de vermos uma imagem em movimento a narrativa se desenvolve entre a mise en scène do trabalho criado e da personalidade do espectador, contando assim uma história diferente e intensamenteLeia Mais

Biomimicry Thinking

Batemos um papo com a Alessandra Araujo, especialista em Biomimicry Thinking, Biomimética desde 2012  e Bióloga com ampla experiência em sustentabilidade e urbanismo. Alessandra gerencia projetos de Arquitetura e Urbanismo GCP – Brasil há 14 anos. “…tudo se inicia de um desafio, de uma necessidade de resolver um tema, de buscar algo melhor do que já foi pensado e para isso a criatividade é a chave do processo….” Alessandra já realizou várias consultorias que conectam o design a natureza, como o projeto Votu Hotel que foi inteiramente conceituado e desenvolvido com o Biomimicry Thinking. “Biomimética é a ponte de conecta ciência ao design/criação/inovação..” Ela desenvolve diagnósticos sociaisLeia Mais

a ciência da criatividade

Existe uma ciência da criatividade que pode te ajudar a captar a sua próxima grande idéia. Mas é preciso seguir algumas dicas de pesquisadores e cientistas que estão estudando a criatividade há muitos anos. “O estresse é sem dúvida, o maior assassino da criatividade”, diz o psicólogo Robert Epstein, PhD. Apesar da crença generalizada de que algumas pessoas simplesmente não estão dotadas do gene da criatividade, “não há realmente nenhuma evidência de que uma pessoa é mais criativa do que outra”, diz Epstein. “A criatividade é algo que qualquer pessoa pode cultivar”, diz ele. Criatividade rotineira Epstein, um psicólogo da Universidade da Califórnia, em SanLeia Mais