imaginação

Imaginação: O poder criador do homem

“O que é imaginação senão o Sol no homem?” (Paracelso). Para Paracelso, a imaginação ativa é o intermediário entre o pensamento e o ser. Concebe a imaginação como a encarnação do pensamento na imagem (símbolo).

A imaginação é a ferramenta da criação, constrói tudo o que está a nossa volta e até a nós mesmos, porque somos uma ideia absolutamente original. Cada ser humano é único e desenvolver a si mesmo também trabalha com a ideia da imaginação.

Platão costumava a dizer que existe um plano das ideias. É como se existisse um esboço do mundo manifestado e que o plano material é um reflexo deste esboço, e que tudo que existe aqui são sombras.

Na prática seria assim. Se você tem uma ideia de criar um restaurante, imagina os ingredientes, o tipo de comida, imagina o espaço, os móveis, em que bairro será, as cores e as formas. Mesmo que não exista ainda o lugar físico e operando, ele existe no campo da ideias.

Então para Platão, mesmo que não houvesse nada e ninguém neste mundo, existiria tudo no plano das ideias, e que para se manifestar precisa de um intermediário, que neste caso, somos nós humanos. Somos uma ponte (mesocosmos) entre 2 mundos, a cabeça no céu e os pés na terra. Buscamos ideias originais no céu e trazemos ao mundo que vivemos, co-criando com o universo.

Porém quando estamos vivendo em uma sociedade massificada e sem imaginação em que muitos não conseguem exercitar seu poder de imaginar e que em muitos casos isso é cortado e atrofiado ainda na infância, muitas pessoas não conseguem “estatura” para tocar os céus e perceber a sutileza da criação e acabam trazendo para a terra coisas que não são tão perfeitas e que Platão dava o nome disso de Evolução. Que nada mais é do que as sombras correndo atrás do objeto que as gerou, que seria o plano material correndo atrás do plano das ideias.

A palavra evolução vem do Egito antigo, e significa desenrolar, que era o que eles faziam com os papiros que tinham o conhecimento, desenrolavam o conhecimento. Evolução então é como se você desenrolasse o que está no plano das ideias, lesse e copiasse aqui embaixo com a sua interpretação.

Imaginação é a capacidade de pegar essas ideias e trazê-las ao mundo.

Acreditando ou não em Platão, o fato é que buscamos essa perfeição, esse aprimoramento, esse ideal. E observando a nossa cultura, focamos esta perfeição nas coisas, na melhor casa, no melhor emprego, na melhor roupa, e nem sempre esperamos isso de nós, como se nós também não tivéssemos um ideal.

Mas então você pensa: mas na minha imaginação, tem coisas que podem nunca se manifestar no mundo, certo? Bem, isso não é imaginação, é fantasia. No plano mental você tem formas mentais que são imaginação e que são fantasia. O mundo manifestado é dual.

Imaginação é um projeto do que você vai viver amanhã e que pode carregar a polaridade negativa que é a fantasia. A fantasia não se projeta para virar realidade, ela se projeta em si mesma.

“A imaginação está cravada em nossa biologia, é arma evolutiva que nos permitiu chegar até aqui”, diz o antropólogo americano Stephen Asma, autor do livro The Evolution of Imagination“Mas em vez de sermos instigados a aprimorar o nosso potencial criativo, somos estimulados a abandoná-lo”, escreve Asma.

A realidade é que hoje as pessoas se encontram mais na fantasia do que na imaginação. Vivemos em um mundo que é como se você comprasse o software chamado vida e desse o play, nele ja diz o que significa um homem ou uma mulher de sucesso e como você tem que viver para ser feliz.  Tem o carro tal, tem o apartamento tal, tem o tal padrão de consumo, mas como isso muitas vezes é difícil de conseguir para a maioria, as pessoas mergulham na fantasia, pois não foram estimuladas a imaginar uma vida diferente.

O fato é que é inviável se criar algo sem minimamente saber o que você quer, ou de ter um modelo de como isso será. E isso se aplica a pessoas também, e por isso a importância dos modelos, das referências e das inspirações. E se você não cria este modelo, você acaba pegando da sociedade os padrões tidos como oficiais.

Imaginar estimula a memória. Temos o poder da nossa imaginação para nos conectarmos com imagens arquetípicas e segundo ensinava Giordano Bruno, gravar essas imagens arquetípicas em nossa memória. Cada ideia tem uma imagem. Se captarmos a imagem, captamos a ideia, se recordarmos a imagem, recordamos a ideia.

A fórmula seria: Imaginação + vontade = magia do homem. Magia é a magma ciência, tem lógica e possui esses dois ingredientes. Ou seja, decisão no plano mental (imaginação) e perceverância e constância (vontade) no plano físico. Quem não vive isso sobrevive as ideias dos outros.

Imaginar é fazer história. Hoje vivemos uma realidade que alguém imaginou. E estamos imaginando hoje o que muitos viverão no futuro.

Segundo Ficino, a imaginação produz 4 sentimentos: desejo, prazer, temor e dor. Se não os controlarmos, agitam nossa alma fazendo com que ela se perca (Fantasia).

A imaginação cria no homem seus propósitos. Ela revela o potencial que existe dentro de você. Você não pode imaginar aquilo que não tem. A imaginação não inventa, ela tateia algo que está dentro de você. E se você as vive pela vontade, você cria realidade.

Quem não tem missão não tem imaginação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *