ciência e arte

Para entender melhor como funciona as relações entre ciência e arte é preciso examinar as duas separadamente em relação a atividade humana. O ponto de partida é entender que o homem tem necessidade de assimilar toda a sua experiência, tanto no ambiente externo, quanto no seu ambiente psicologicamente interno. As experiências não digeridas podem atuar na mente como um vírus, produzindo um estado de desarmonia e conflito que tende a destruir a mente. Não importa se a discussão é sobre alimentação, ambiente social, ideias ou sentimentos, a assimilação é sempre aquilo que acontece de forma harmônica. E isso não é de hoje, desde os temposLeia Mais

processo criativo

Qualquer que seja a magia do dedo laranja, entra para o ponto de cruz negro e de pele vermelha. Se você pensa que come vento de leite, você certamente brilha na calça da joaninha de isopor. Algum dia você já pensou que peito fosse o nariz do útero? Se você falar mais vai ventilar os morangos silvestres do Congo. A vida da formiga tem 1000 raios e é mais liquida do que feijão com geleia cozida em banho cru. Se a loira da quina te contar um grito, vai dizer que seu pé está nas costas do burro das 13 espadas, e vai voar comoLeia Mais

Fascinado pelos mercados de pulgas, o artista sueco contemporâneo Michael Johansson cria instalações e esculturas do cotidiano com todos aqueles objetos que simplesmente fazem ou já fizeram parte do dia a dia de todo mundo e que muitos de nós consideram inúteis ou descartáveis. Seu trabalho mostra claramente como é possível criar com o que já existe. Na verdade seu processo criativo surge do ato mais simples de caminhar por ai e iniciar um processo de garimpo de objetos. Essa por si já é uma experiência artística antropológica que expande todas as percepções de quem usa esta prática. O flanar por ai, nos proporciona a aberturaLeia Mais

Arte em fotografia: As crônicas visuais de Martin Parr

Martin Parr é um cronista visual. Sua fotografia nos oferece a oportunidade de ver o mundo a partir de uma única perspectiva. À primeira vista, suas fotografias parecem exageradas ou até mesmo grotescas. Os motivos que ele escolhe são estranhos, as cores são berrantes e os ângulos são incomuns, trazendo uma linguagem original, divertida, acessível e compreensível. Mas, ao mesmo tempo nos mostra de uma maneira penetrante como vivemos, como nos apresentamos aos outros e o que nós valorizamos. Lazer, consumo e comunicação são os conceitos que este fotógrafo britânico vem pesquisando há várias décadas em suas viagens em todo o mundo. No processo, ele examina asLeia Mais

a arte do design do atelier bingo

A dupla francesa Maxime Prou e Adèle Favreau são os criativos por trás do Atelier Bingo. Os dois são apaixonados por ilustração, artes visuais e design gráfico. Conseguiram através de uma mistura de técnicas criar uma linguagem impactante. Em seu processo criativo experimentam estilos artísticos em serigrafia, colagem, gouache, canetas, tintas e outras técnicas gráficas. Tudo com muita cor para criar uma arte eletrizante, colorida e abstrata. O estúdio está atualmente em Saint Laurent sur Sèvre, uma área rural cerca de 70 km do sudeste de Nantes, França onde se conheceram em um curso de design e decidiram colaborar. O Atelier Bingo também tem trabalhado com inúmeras publicaçõesLeia Mais

Os utensílios fabulosos da gastronomia experimental Steinbeisser.

Em 2012, Jouw Wijnsma e Martin Kullik fundaram a Steinbeisser, uma iniciativa de gastronomia experimental que reúne chefs e artistas de renome para uma experiência culinária única. Os artistas criam talheres e louças exclusivas que celebram a experimentação na gastronomia. Impulsionados por uma busca de novas maneiras de desfrutar da comida, essas peças não seguem as regras normais de usabilidade. Em vez disso, elas desafiam você a rever a sua relação entre os utensílios de mesa. Eles podem ser amados por sua função de provocação, mas também por sua beleza. No entanto, não se trata apenas de beleza, essa turma residente de Amsterdam também acredita naLeia Mais

Uma visão ideológica do design de mobiliário.

Jessi Reaves tem uma visão ideológica do design de mobiliário. Jessi não constrói móveis, constrói esculturas que são cadeiras, sofás, estantes e mesas. Estes móveis/obras de arte trazem um longo diálogo entre a função e a estética. Seu processo criativo começou com o trabalho que desenvolvia de refazer estofados, e de regenerar peças antigas de mais de 30 anos. A partir dai seu processo amplificou e Jessi passou a transformar o que vem de dentro das peças e não melhorar o que está do lado de fora, reconfigurando inteiramente a construção do seu trabalho em um diálogo extremamente conceitual entre o design e a ate. OLeia Mais

Imagem e emoção: movimentos interiores e exteriores

Sensações, imagem, emoção e mais imagens. Se há uma propriedade inerente às imagens, em todas as suas formas e manifestações, é sua capacidade de condensar e carregar sentidos, vale dizer, energia, vale dizer, emoções e sentimentos, histórias e estórias, memórias do passado e memórias do futuro como desejos, sonhos e projetos. Daí emerge o poder de captura e o poder de mobilização das imagens. Reunindo tanta potência condensada, muitas vezes em uma simples configuração como uma cor, um traço ou um esboço, tantas vezes em um único elemento, um gesto, um olhar, sua presença na história do homem foi sempre a presença de uma ferramentaLeia Mais