Seleção RED: Crianças no cinema.

Seleção de filmes com protagonistas infantis e jovens coadjuvantes que roubaram a cena e ajudaram a construir a história do cinema mundial. O pássaro azul –  Walter Lang – 1940 O filme conta a história de Mytyl e Tyltyl, dois irmãos que são levados para uma encantadora viagem pelo passado, presente e futuro, em busca do Pássaro Azul da Felicidade. Simples e divertido, é uma clássica história sobre os poderes da natureza e a jornada em busca a uma felicidade que está no lado de fora de nós. A reflexão na metáfora constante que acontece durante o filme. A garotinha é interpretada pela belíssima ShirleyLeia Mais

Desenvolver o autoconhecimento para se tornar mais criativo.

Peter Dean, um artista, uma vez disse: ” Eu sou um mágico através do qual as imagens de nosso tempo passam e se tornam pinturas. Eu sou capaz de converter realidade em fantasia e vice-versa. Eu sou um malabarista de texturas e cores. Eu sou o cartomante do passado e o profeta do futuro. Eu piloto um furacão, sou o equilibrista que passeia pela linha da sanidade. Eu vivo no topo do mundo.” “Eu vivo no topo do mundo”. Essa frase descreve perfeitamente os sentimentos de alguém totalmente imerso em sua alma interior. Uma pessoa que está descobrindo as suas potencialidades e as traduz comLeia Mais

A arte gráfica do design independente

O Studio Feixen é um estúdio de design independente com sede em Lucerna, na Suíça. Segundo o designer Felix Pfäffli, na Feixen não se cria design, se cria conceitos visuais, por isso tudo é referência para eles. Mergulham em design de interiores, design de moda, tipografia ou animação – contanto que a linguagem os desafie. É isso o que interessa para o estúdio. Trabalham internacionalmente com clientes como Nike, Google, Reebok, The New York Times, além de instituições como Wanderlust ou o Festival Nuits Sonores em França, Lucerne University of Applied Sciences and Arts, Südpol e Luzerner Theatre. O designer Felix Pfäffli abriu as portas doLeia Mais

sobre imaginação e fantasia

O poder de imaginar coisas que ainda não foram vivenciadas é considerado, por um lado, um aspecto fundamental do pensamento criativo e inteligente. Por outro lado este poder de imaginação é igualmente visto como uma capacidade um tanto quanto passiva e mecânica de organizar e ordenar as imagens do pensamento advindas de associação de memórias, com a ajuda da qual a mente pode fazer adaptações que mais parecem rotinas e, na pior, limitar-se a enganar a si mesma de modo que favoreça seu próprio prazer. O livro, What Coleridge Thought (O que Coleridge pensou) de Owen Garfield expõe duas formas distintas de pensamento. A imaginaçãoLeia Mais

ciência e arte

Para entender melhor como funciona as relações entre ciência e arte é preciso examinar as duas separadamente em relação a atividade humana. O ponto de partida é entender que o homem tem necessidade de assimilar toda a sua experiência, tanto no ambiente externo, quanto no seu ambiente psicologicamente interno. As experiências não digeridas podem atuar na mente como um vírus, produzindo um estado de desarmonia e conflito que tende a destruir a mente. Não importa se a discussão é sobre alimentação, ambiente social, ideias ou sentimentos, a assimilação é sempre aquilo que acontece de forma harmônica. E isso não é de hoje, desde os temposLeia Mais

processo criativo

Qualquer que seja a magia do dedo laranja, entra para o ponto de cruz negro e de pele vermelha. Se você pensa que come vento de leite, você certamente brilha na calça da joaninha de isopor. Algum dia você já pensou que peito fosse o nariz do útero? Se você falar mais vai ventilar os morangos silvestres do Congo. A vida da formiga tem 1000 raios e é mais liquida do que feijão com geleia cozida em banho cru. Se a loira da quina te contar um grito, vai dizer que seu pé está nas costas do burro das 13 espadas, e vai voar comoLeia Mais

Para que usar a atenção plena (mindfulness)?

Significado de atenção plena: A palavra sânscrita que designa atenção plena “smriti” significa “lembrar-se”. Consiste em lembrar-se de permanecer no momento presente a todo instante. O ideograma chinês para a “atenção plena” tem duas partes: a superior, que significa “agora”, e a inferior, que significa “mente”. Ou seja: permitir que a mente esteja no momento presente. Estamos vivendo uma profunda transição e com um número de informações gigantescas para serem processadas a cada minuto. Oportunidades surgem a todo o momento e para realizarmos precisamos estar focados. Fazendo com que o presente não seja apreciado, nos lembrando do que passou e sonhando com o futuro. AoLeia Mais